Com melhorias aplicadas nas atividades de vulcanização, mineradora reduziu em 33% o tempo de manutenção, aumentando a disponibilidade do equipamento

Dentro da estratégia de redução de custos e aumento da produtividade, o trabalho “Redução no tempo de vulcanização de uma emenda em correias transportadoras de cabos de aço” da Vale foi um dos laureados pelo 18° Prêmio de Excelência da Indústria Minero-metalúrgica Brasileira da revista Minérios & Minerales. Elaborado por Ericson Carneiro Braga, Jardel Evangelista de Oliveira e Ronaldo Vilela Ribeiro, o projeto, aplicado na mina de Fábrica Nova, em Mariana (MG), objetivou reduzir o tempo de vulcanização de uma emenda em correias transportadoras de cabo de aço, aplicadas em um transportador de correia de longa distância por meio de alterações na distribuição de mão de obra, logística e alterações de ferramentas de execução.

A elaboração de um estudo de caso no transportador de longa distância da usina foi realizado observando as perdas operacionais na execução da vulcanização da emenda. O resultado foi validado comparando o valor da disponibilidade física antes da implementação da redução e após a implementação, esperando-se um aumento da mesma de 80% ,em média, para 85% e um ganho de produção de 500.000 t de material transportado ou uma redução de R$ 9 milhões em perdas.

No transporte de minério de ferro entre a mina e a usina de Beneficiamento de Timbopeba, é utilizado um transportador de longa distância com um comprimento de 12 km, sendo aplicado correias transportadoras com cabos de aço, pois este tipo de correia possui maior tensão de ruptura e menor alongamento. O transporte de minério é realizado a uma taxa de 85%.

Depois da análise das etapas do processo de vulcanização de emendas a quente em correias transportadoras de cabo de aço, verificou-se que a mão de obra distribuída ao longo das etapas estava inadequada, ou seja, estava concentrada basicamente no final da atividade. Verificou-se também que o tempo de deslocamento das pessoas até o local da realização da atividade era demasiadamente alto pois não havia uma logística eficiente, o que gerava atrasos no início, durante e no final da atividade.

Outro ponto que gerava atrasos na atividade era a utilização de caminhão guindauto para içamento da correia transportadora, visando a retirada dos cavaletes dos roletes de apoio para montagem da banca. Havia um gasto de 4 horas para execução desta etapa, devido o tempo de patolamento, amarração e içamento da correia transportadora e despatolamento do caminhão guindauto.

Para reduzir os tempos nas etapas analisadas no processo de vulcanização da emenda em correias transportadoras de cabo de, propôs-se a mudança de distribuição da mão de obra, primando o início da atividade e consequentemente a maior produtividade das pessoas.

Com a implementação das ações propostas anteriormente, o tempo de vulcanização em correias transportadoras de cabo de aço reduziu-se em 33%, passando de dezoito horas para 12 horas. Após as modificações implementadas, observou o aumento na disponibilidade do transportador de correia de longa distância em 7%, obtendo um valor recorde de 90,43% em agosto de 2015.

A adoção da estratégia do uso do ônibus no deslocamento da equipe contribuiu para redução no tempo de vulcanização devido a flexibilidade de deslocamento de todos os empregados que compõe a equipe, saindo de 18 horas para 12 horas de vulcanização. Houve um ganho significativo ao utilizar o dispositivo de içar em substituição ao uso do caminhão guindauto, devido sua versatilidade e facilidade no manuseio do mesmo e redução da exposição dos empregados ao risco de incidentes de segurança.

A disponibilidade física do transportador de longa distância aumentou em 7%, tendo um recorde de 90,43% em agosto de 2015 consequentemente houve um ganho na massa movimentada de minério lavrado de 500.000 t em um ano.

Conheça os autores do projeto

Ronaldo Vilela Ribeiro formou-se na Universidade Federal de Uberlândia em Engenharia Mecânica. Iniciou a carreira na Rima Industrial. Entrou na Vale no Complexo Mariana em 2012 como Engenheiro de Manutenção e atualmente é Supervisor de Vulcanização e Lubrificação da Usina de Timbobepa.

Jardel Evangelista de Oliveira possui formação pelo SENAI-Mariana em técnico eletromecânico. Ingressou na Vale em Julho de 2007 no Complexo de Vargem Grande. Atualmente é Técnico de Vulcanização na Usina de Timbopeba.

Ericson Carneiro Braga é analista Operacional da Usina de Fábrica Nova, da Vale

Leia na íntegra o trabalho “Redução no tempo de vulcanização de uma emenda em correias transportadoras de cabos de aço”.

Fonte: Revista Minérios & Minerales