A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Ministério da Educação, aprovou o primeiro curso de mestrado profissional do Instituto Tecnológico Vale (ITV), uma instituição de pesquisa da Vale. O curso "Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais" é o primeiro do gênero oferecido por uma empresa do setor mineral do País. As aulas começam em maio e, para a primeira turma, serão oferecidas 20 vagas – 10 destinadas a empregados e 10 para o público em geral. O objetivo é formar profissionais aptos a enfrentar questões relacionadas com o aproveitamento sustentável de recursos naturais e atrair e desenvolver talentos com competências voltadas para a mineração.

"Os investimentos de empresas em formação pós-graduada ainda são muito restritos. A Vale está abrindo um caminho desbravador e poderá servir de exemplo para outras empresas", afirma Roberto Dall'Agnol, pesquisador e coordenador do curso.

O mestrado representa uma etapa estratégica na consolidação do ITV, criado em 2009 e que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento econômico de base tecnológica no Brasil por meio da produção de pesquisas científicas nas áreas de desenvolvimento sustentável e mineração. As aulas serão oferecidas pela unidade do ITV em Belém.

"Por estar em Belém e, portanto, na região amazônica, o mestrado contribui de modo expressivo para a fixação e formação de recursos humanos na região, colaborando, assim, para a redução das desigualdades regionais", acrescenta Dall'Agnol.
Segundo o MEC, em 2011, dos 55 mil trabalhos de mestrado e doutorado defendidos e aprovados, 3% foram produzidos na porção norte do país. Dados do Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) mostram ainda que a região tinha, em 2012, 4.715 mestres (6,3% do total do País) e 3.910 doutores (3,8%) nas áreas de Pesquisa e Ensino, número comparativamente menor em relação às demais regiões do País. O edital do mestrado será lançado em fevereiro e, em breve, serão divulgadas informações para inscrições.

Desde que foi criado, em 2009, o Instituto Tecnológico Vale já articulou cerca de 100 convênios de P&D, fomentou mais de 50 bolsas à pesquisa e fechou parcerias com 36 instituições nacionais e internacionais, como a Embrapa, CNPq, o Massachusetts Institute of Technology (MIT) e com a École Polytechnique Fédérale (EPFL) de Lausanne, da Suíça.
Além das ações em parceria para o incentivo à pesquisa, o ITV vai construir um conjunto de estruturas físicas distribuídas pelo Brasil e terá um corpo próprio de pesquisadores com excelência mundial. Inicialmente, o instituto vai construir dois campi de pesquisa em Minas Gerais (Ouro Preto) e Pará (Belém). Cada centro terá uma vocação: o de Minas Gerais será focado em mineração e o do Pará, em desenvolvimento sustentável.

Fonte: Padrão