Responsável por 66% das reservas brasileiras de fosfato, a região compreendida pelos municípios de Patos de Minas, Patrocínio, Serra do Salitre, Araxá e Tapira, em Minas Gerais, tem potencial de crescimento. A Fosfertil pretende abrir uma nova mina, Salitre, na cidade de Patrocínio, onde abriu um escritório no final do ano para dar suporte ao projeto, que tem custo estimado em R$ 2 bilhões e previsão de entrada em operação em 2011. Salitre tem teor em torno de 11% de P2O5, enquanto as demais minas da Fosfertil oscilam entre 7% e 10%. Com capacidade produtiva instalada da ordem de 2 milhões t/ano, Salitre teria vida útil estimada em 100 anos e demandaria também a construção de um novo complexo industrial químico. A jazida é equivalente ou até maior que Tapira e deve viabilizar outros depósitos próximos, como Serra Negra, Salitre III e Mata das Bananeiras.

Além disso, outras minas podem entrar em operação, como Itataia, no Ceará, e Anitápolis, em Santa Catarina, e existe ainda a possibilidade de aumentar a produção em Angico dos Dias e Irecê, na Bahia, Araxá, em Minas Gerais, e Catalão/Ouvidor, em Goiás.


Fonte: Padrão