A ALL (América Latina Logística) encerra este ano com transporte de cerca de 3 milhões de toneladas de carga transportada na malha ferroviária que corta o Mato Grosso do Sul. Segundo informou ao Campo Grande News o gerente de Operações em Mato Grosso do Sul, Gerson Fabiano Almeida, neste ano foram escoadas 2 milhões de toneladas pela ferrovia e para o próximo ano a perspectiva é animadora.

Só da VCP (Votorantim Celulose e Papel), de Três Lagoas, a previsão é transportar 1,2 milhão de toneladas, mais 3 milhões de minérios e está em estudo um projeto para que vagões que vêm de São Paulo com diesel e gasolina retornem com álcool.

O gerente afirma, ainda, que os acidentes diminuíram de 146 para 62 e que não houve impactos ambientais causados por eles. Em março ocorreu o caso mais grave, com duas mortes, no município de Água Clara.

Quanto ao quadro de funcionários, Gerson afirma que aumentou neste ano de 450 (entre diretos e indiretos) para 800 e que a previsão é até março contratar mais 60 pessoas entre maquinistas e auxiliares.

Os investimentos feitos na malha este ano somam R$ 64 milhões, sendo o mais significativo para o Mato Grosso do Sul de R$ 24 milhões feito no trecho entre Três Lagoas e Bauru, para atender à VCP.

Trem do Pantanal – Sobre o Trem do Pantanal, cuja viagem inaugural está prevista para o dia 8 de maio, o gerente garante que desta vez o cronograma deve ser cumprido. Segundo ele, o primeiro trecho, que compreende 46 quilômetros entre Miranda e Aquidauna deve ser concluído no final deste ano. Há 30 dias houve uma fiscalização da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e foram feitas várias recomendações, como substituição de dormentes e trilhos.

A segunda fase, que compreende o trecho de Aquidauana a Campo Grande envolve trabalho de 270 homens e o progresso é de 350 metros ao dia.
“Devemos entregar este trecho no final de março”, acredita. Antes disso, haverá uma nova vistoria pela ANTT. O investimento na malha especificamente para o projeto Trem do Pantanal é de R$ 8 milhões, mais R$ 2 milhões da manutenção regular prevista para o trecho.

Para a composição há cinco vagões já reformados na estação de Campo Grande e a locomotiva virá do Paraná, até o fim do ano.


Fonte: Padrão